MOTE:

"Eu sou uma autêntica bomba abandonada! Temo explodir a qualquer momento..."
- Frase de um ex-combatente, anónimo.

Amigos

sexta-feira, 4 de julho de 2014

HUMANIDADE NA GUERRA?


 
“…tal o peso arrasador da máquina de guerra versus a perda da humanidade de um grupo de homens que cumprem ordens sem tempo para se interrogarem…”

                                               Daniel Deusdado, in: “Sophia, Carlos do Carmo – quase tudo”

                                                                          «Praça da Liberdade», Jornal de Notícias, 3/7/2014

 

Há coisas que não se aprendem, porque há coisas que ninguém as sabe ensinar.
Na guerra, voluntariamente ou não, quem por lá passa, torna-se de um dia para o outro, desumano.
Há que cumprir ordens! Só isso, mais nada.
Cumpri-las, sem tempo para pensar no acto.
E é aí que o ser humano, presa fácil dos donos da guerra, perde a sua postura. Depois…, há os que gostam e nem esperam por ordens desumanas, actuam!
Outros, sabe-se lá como? Fazem um esforço sobre-humano para continuarem humanos, não deixando de cumprir ordens.
Na guerra, o verdadeiro herói é o que luta contra a sua própria desumanidade!
 
eduardo roseira

 

 

Sem comentários:

Enviar um comentário